Blog

Dermatite Atópica

Publicado em 11 de abril de 2013 por Rafaela Zanella

A Dermatite Atópica (DA) tem início precoce, aparecendo geralmente no primeiro ano de vida. O prognóstico é favorável na maioria dos casos, sendo que aproximadamente 60% das crianças apresentam diminuição ou desaparecimento completo das lesões antes da puberdade.

 

O QUE É: é uma doença crônica que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões e coceira. Ela afeta  geralmente indivíduos com história pessoal ou familiar de asma, rinite alérgica ou dermatite atópica. Essas três doenças são conhecidas como: tríade atópica.

A causa exata da DA é desconhecida, no entanto, sabe-se  que ela não é uma doença contagiosa, e sim uma doença de origem hereditária.

 

Uma criança que tem um dos pais com uma condição atópica (asma, rinite, alérgica ou Dermatite Atópica) tem aproximadamente 25% de chance de também apresentar alguma forma de doença atópica. Uma criança com os dois pais com doença atópica, tem mais de 50% de chance de também apresentar doença atópica.

 

CARACTERÍSTICAS: Na infância (0 a 2 anos), as lesões de pele são mais avermelhadas, e localizam-se na face, e superfícies extensoras dos membros. Nas crianças maiores e adultos, as lesões localizam-se mais nas dobras do corpo, como pescoço, dobras do cotovelo e atrás do joelho, e são mais secas, escuras e espessadas. Em casos mais graves, a DA  pode acometer grande parte do corpo.

A pele seca é uma característica muito presente e representa um dos fatores que mais contribuem para a piora da DA.

 

MEDIDAS GERAIS:

•             Evitar tudo que possa causar ressecamento na pele, como: banhos muito quentes e demorados, uso excessivo de sabonetes e esponjas de banho.

•             Aplicar hidratante corporal neutro logo após sair do banho (preferencialmente até 3 minutos após o término do banho). Reaplicar o hidratante pelo menos mais uma vez ao dia.

•             Evitar o uso de roupas de lã ou fibras sintéticas

•             Evitar ambientes com poeira e tabagismo

•             Os pais devem aprender a controlar a ansiedade, pois é muito comum a criança com DA ter o prurido “coceira” intensificado quando percebe essa ansiedade

 

TRATAMENTO: Existem diversos medicamentos que ajudam no controle da DA. As pomadas ou cremes de cortisona são muito eficazes no controle. No entanto, devem ser indicadas e usadas corretamente para se evitar efeitos colaterais a longo prazo. Esses efeitos incluem a atrofia (ou afinamento) da pele e as estrias. Existem diversas apresentações de cortisona tópica

(diferentes veículos e potências) e apenas o médico pode indicar qual a melhor apresentação para cada caso.

Hoje disponibilizamos de medicamentos conhecidos como imunomoduladores tópicos, eles foram introduzidos para substituir ou diminuir o uso da cortisona tópica e se evitar os seus efeitos colaterais.

Os anti-histamínicos (ou antialérgicos) orais são usados para controlar o prurido, principalmente no período noturno. Hoje sabemos que crianças que têm prurido noturno  dormem mal e podem ter o crescimento alterado.

A cortisona por via oral, bem como outros medicamentos imunossupressores, devem ser usados apenas nos casos mais graves. Os antibióticos podem ser usados em casos de infecções.

dermatite atopica

Outras terapias, como o uso de raios ultra-violeta, óleos vegetais orais, probióticos, coaltares tópicos, podem ajudar em alguns casos.

 

LEMBRE-SE SEMPRE: Consulte seu médico para discutir com ele o melhor tratamento indicado para o seu caso!